CALENDÁRIO DE ATIVIDADES – 2020

 

Março

Reunião do Atendimento Fraterno

Data: 21/03

Horário: 16h

 

Palestra Especial

Tema: Memórias de um Suicida

Data: 25/03

Horário: 20h

Palestrante: José Luis Terra

Traga um 1kg de alimento não perecível

 

Abril

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema: A Arte da Escutatória

Data: 04/04

Palestrante: Adriana Paim

 

Maio

Palestra Especial

Tema: A Linguagem do Coração

Palestrante: Vinícius Louzada

Horário: 20h

 

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:  Relacionamento Conjugal

Data: 09/05

Palestrante: Aline Gonçalves

 

Junho

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:   A Psicologia de Augusto Cury à Luz da Doutrina Espírita

Data: 06/06

Palestrante: Zoé Paim

 

Julho

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:   Meditação para Crianças

Data: 04/07

Palestrante: Patrícia Costa

 

Agosto

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:   Ansiedade

Data: 01/08

Palestrante: Marisa Seguésio

 

Setembro

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:   Psicologia e Espiritualidade na Busca pela Transcendência

Data: 05/09

Palestrante: Thiago Oliveira

 

Outubro 

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:   Limites na Criação dos Filho

Data: 03/10

Palestrante: Marlene Ávila

 

Novembro

Ciclo de Palestras Psicológicas

Tema:   Educação Moral

Data: 07/11

Palestrante: Aline Gonçalves

 

Artigo| AMOR AOS ANIMAIS

Divaldo Franco
Professor, médium e conferencista

 

Em um governo do passado, um dos seus ministros conduziu, oportunamente, um cão ao veterinário em carro oficial. Surpreendido por um repórter, este advertiu-o sobre a irregularidade que estava cometendo, e o mesmo respondeu enfático: – Os cães também são gente!

Acredito, pessoalmente, que o Sr. Ministro quis dizer que os animais também merecem o tratamento dado às criaturas humanas.

De imediato, foi ironizado e tornou-se motivo de troça.

Se ainda estiver reencarnado, ele poderá esclarecer que os animais estão sendo mais bem tratados do que os seres humanos.

O amor aos animais demonstra uma grande conquista pela sociedade, em razão do respeito à vida em todas as suas expressões.

Os animais merecem as mais carinhosas expressões de ternura e cuidados na condição em que estagiam.

Francisco, o santo de Assis, assim o fez, inclusive ao então terrível lobo de Gúbio. Entretanto, forçoso é considerar, como ocorre em todas as ideias que se transformam em tendência, isto é, se fazem voga, que nelas surgem comportamentos extravagantes.

Os animais, quando domesticados, tornam-se excelentes companheiros de pessoas enfermas, solitárias, portadoras de conflitos, inclusive depressão, autismo, síndrome de Down e outros problemas.

A solidão também requer muito o amor dos animais, tornando-os verdadeiros amigos e companheiros.

No entanto, em uma civilização na qual a miséria moral é muito grande, dela decorrendo a miséria socioeconômica, os excessos nos cuidados aos animais tornam-se uma afronta ao sofrimento dos invisíveis, que se tornam desagradáveis, desprezados e, não raro, perseguidos.

É compreensível que, através do amor, que deve viger entre as criaturas, este se expanda aos animais, aos vegetais, à natureza que nos mantém vivos e, ingratamente, a destruímos.

Substituir o afeto de um ser humano pelo de um animal é lamentável, porque os dois não são incompatíveis. Pode-se amar o gênero humano e também o animal, com o mesmo calor emocional e cuidado.

Algumas pessoas, sofridas e solitárias, referem-se que preferem amar aos inocentes animais do que aos indivíduos conscientes, que traem, magoam e são indiferentes aos seus padecimentos.

Não me parece feliz a troca afetiva, porque o instinto de preservação da vida também se encontra nos animais e, graças ao instinto, em algumas vezes sucedem graves acontecimentos entre esses e os seus cuidadores.

É inegável que tentar transformar um animal em um ser humano, por mais se cuide de trabalhar esse requisito, jamais se conseguirá. Entretanto, o amor que lhe seja dedicado é um passo gigantesco na afetividade que um dia será dirigida às criaturas humanas.

A evolução é inevitável e a força do amor invencível.

 

 

Artigo publicado no jornal A Tarde, coluna Opinião, de 29 de novembro de 2018.

COMO FAZER EVANGELHO NO LAR

 

 

EVANGELHO NO LAR

1. Escolha o dia de sua preferência. Sugerimos um dia de fácil memorização, por exemplo, segunda ou sexta-feira.
2. Escolha um aposento silencioso e agradável da casa, de preferência a sala de jantar, e que esteja com os aparelhos eletro-eletrônicos desligados.
3. Coloque uma jarra com água sobre a mesa, para fluidificação. Na falta dessa podem ser utilizados copos, qualquer um, em número correspondente aos integrantes do Evangelho.
4. Sentar-se à mesa sem alarde e sem barulho.
5. Fazer a prece de abertura, a que toque mais fundamente o sentimento familiar. Pode ser uma prece pronta ou uma prece espontânea, o importante é, repetimos, o sentimento da fé e a confiança na Proteção Divina.
6. Após, fazer uma leitura breve de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Comentar com palavras próprias o trecho lido. No início poderá existir certa timidez mas, com o correr do tempo, os comentários surgirão espontaneamente pois que os Espíritos amigos estarão auxiliando na compreensão dos textos selecionados.
7. Os demais integrantes poderão tecer comentários também, caso o desejem, mesmo que estes levem a assuntos pessoais e/ou a diálogos, naturalmente que sempre pertinentes ao tema em foco. O Evangelho no Lar é antes de tudo uma reunião de Espíritos reencarnados no mesmo ambiente, buscando através da prece, da elevação de pensamentos e do diálogo fraterno, o amparo e o auxílio do Mais Alto para seus problemas e necessidades. Não deve ser jamais solene ou ritualístico, com palavras e movimentos decorados a lembrar missas e demais cultos.
8. Para incentivar a participação dos filhos ou demais membros, com exceção do pequeninos, é conveniente pedir que leiam mensagens espíritas, para reflexão do grupo. Incentivar também, com carinho, o comentário após a leitura. Sugerimos aqui os livros Fonte Viva e/ou Pão Nosso, de Emmanuel, Agenda Cristã e/ou Sinal Verde, de André Luiz.

9. Proferir a prece de encerramento e rogar, como exemplo, pela paz, harmonia, saúde e felicidade dos membros da reunião e de todos com os quais convivem. Desejando, rogar também pelos doentes, desamparados e infelizes da Terra. Por último, pedir a bênção de Deus para os familiares desencarnados, sem temor. A lembrança da prece alegra e pacifica os que partiram.
10. É completamente desaconselhável qualquer manifestação mediúnica durante o Evangelho no Lar.
11. Servir, após a prece de encerramento, a água fluidificada.
12. Tempo: o necessário para a família. Sugerimos uma reunião de 15 a 30 minutos. Música: sim, se for do agrado de todos. Sugerimos música instrumental, em volume baixo.

PROJETO EXPANSÃO DA LUZ- AJUDE O CÍRCULO DA LUZ

Projeto Expansão da Luz

 No ano em que completou 70 anos de fundação (2017), a Sociedade Espírita Círculo da Luz iniciou eu projeto de expansão. Em agosto de 2017, a entidade adquiriu um imóvel na Rua Alfredo Varela, 202, do outro lado da rua, a apenas 20 passos da sua sede.

 A ideia de comprar um terreno para ampliar e comportar melhor as atividades, já era um sonho antigo dos dirigentes da casa, proporcionando maior conforto aos seus frequentadores e trabalhadores. Pois este sonho já é uma realidade! Mas para que possamos construir um espaço adequado, a casa precisa da sua ajuda! 

 O projeto arquitetônico já foi elaborado por arquiteto amigo do Círculo da Luz. Faça parte desta história! As doações de qualquer valor podem ser realizadas através da conta: 

Banrisul – 041
Agencia : 0082
Conta: 410 1195 60-0

 

 

A NOVA UNIDADE COMPORTARÁ , ESPECIALMENTE, A ESCOLA BÁSICA DE ESPIRITISMO (ESBE) E AS ATIVIDADES DO DEPARTAMENTO DE INFÂNCIA E JUVENTUDE (DIJ).